Assim como em países desenvolvidos, no Brasil, o câncer já representa a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. Os pais devem estar em alerta para o fato de que a criança não inventa sintomas e que ao sinal de alguma anormalidade, os filhos precisam ser levados ao atendimento médico para relatar a evolução do quadro que, na maioria das vezes, os sintomas estão relacionados a doenças comuns que ocorrem na infância mas, nem por isso, deve-se descartar a visita a um especialista.

O Instituto Nacional de Câncer(INCA) adverte para sinais de alerta de aparecimento recente. São eles:

  • vômitos acompanhados de dores de cabeça;
  • desequilíbrio ao andar;
  • irritabilidade;
  • dificuldade em se movimentar;
  • dores nos ossos ou nas juntas (articulações);
  • modificação repentina da cor da pele (geralmente pálida);
  • febre frequente ou persistente;
  • perda de peso;
  • fraqueza;
  • sangramento em geral;
  • dores frequentes na barriga;
  • ínguas ou nódulos com crescimento rápido e sem dor, principalmente no pescoço, axílas ou virilhas;
  • suor excessivo noturno;
  • dores de dente sem ter cáries;
  • manchas roxas no corpo ou nas pálpebras;
  • nódulos ou manchas na pele que crescem ou mudam de cor;
  • pressão alta;
  • secreção frequente pelo ouvido;
  • características sexuais adultas precoces;
  • dificuldades de enxergar ou visão dupla;
  • nos olhos: pupila branca ou reflexo de olho de gato.