Atuação do Serviço odontológico em uma ONG

A Casa Durval Paiva é uma organização não governamental sem fins lucrativos, que dá apoio a crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas crônicas, oriundas do interior e da grande Natal, estendendo seus benefícios ao núcleo familiar dos pacientes.

A instituição foi fundada com o objetivo de apoiar os pacientes que não tinham aonde se hospedar para realizar o tratamento. Com o objetivo de proporcionar um atendimento integral, visando o paciente como um todo, constituiu uma equipe multidisciplinar formada por assistente social, psicóloga, nutricionista, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, pedagoga, arte educadora e dentista. O serviço odontológico surgiu inicialmente da necessidade em atender as mães e responsáveis acometidos por odontalgia (dor de dente), o que impossibilitava de acompanhar seus filhos ao tratamento.

A quimioterapia, uma das modalidades de tratamento antineoplásico (contra o câncer) e muito utilizada na oncologia infantil, causa vários efeitos colaterais na boca, pois há uma diminuição das células de defesa do sangue (leucócitos), baixando a imunidade do paciente, ficando o mesmo susceptível a infecções virais (herpes), fúngicas (candidíase ou monilíase) e bacterianas (cárie). A mucosa oral por estar sempre em renovação celular é um dos primeiros sítios a ser atingido pelos efeitos colaterais da terapêutica oncológica.

Os pacientes fecham seu diagnóstico no hospital e são encaminhados para a Casa de Apoio, onde passam por todos os serviços, inclusive a odontologia. São atendidos no consultório odontológico os pacientes que estão hospedados na instituição, como os que residem na cidade, por prioridade da necessidade odontológica e aproveitando a condições laboratoriais de imunidade.

O planejamento odontológico é realizado junto à equipe médica, de acordo com cada protocolo de tratamento. Por ser um público sócio economicamente desfavorável, tendo em vista que a maioria nunca frequentou um dentista, muitas vezes, a primeira consulta é realizada na instituição, onde observamos uma condição oral precária, a presença de vários focos de infecção, sendo a cárie o mais comum. São oferecidos procedimentos de restauração, extração, radiografia, remoção de tártaro (acúmulo de resto alimentar visível e endurecido), prevenção (limpeza e flúor) e orientação de higiene oral.

Dentre as alterações provocadas pelo tratamento antineoplásico encontram-se: mucosite, xerostomia (boca seca), mudanças na microbiota, perda de paladar e sensibilidade, edema, trismo (limitação de abertura de boca), osteorradionecrose (necrose óssea causada pela radioterapia) e a cárie de radiação.

A mucosite oral (inflamação da mucosa) é o principal efeito colateral da quimioterapia e/ou radioterapia de cabeça e pescoço na boca que causa muita dor, dificuldade para mastigar, engolir e falar, causando febre e interrompendo o protocolo de quimioterapia, atrasando assim seu tratamento. O serviço odontológico da Casa oferece tratamento de Laser de baixa intensidade para prevenção e tratamento da mucosite oral. O laser tem ação analgésica, anti-inflamatória e cicatrizante, conferindo ao paciente conforto, acelerando a cicatrização e diminuindo a severidade dos efeitos.

Em interdisciplinaridade com a pedagogia, nutrição e informática acontece mensalmente o Projeto Educação e Sorriso com o objetivo de educar para ter um bonito sorriso. Acontece na classe domiciliar ou classe hospitalar através de atividades lúdicas, trabalha a promoção de saúde bucal, estimulando os pacientes a criarem o hábito de higiene oral, sendo multiplicadores de saúde na família e na sua comunidade.

As visitas regulares ao dentista para a prevenção são muito importantes, haja vista que existe a possibilidade de recaída da doença, onde o paciente tem que estar com a boca saudável. Diante do exposto, a presença do cirurgião dentista em equipes multidisciplinares é de suma importância, contribuindo para aumentar a autoestima, ajudando a fortalecer a confiança no sucesso do tratamento contra o câncer e melhorando a qualidade de vida desses pacientes.

Por Simone Norat Campos - Dentista

Artigos Relacionados