Os desafios dos pais no enfrentamento do câncer infantojuvenil

Keillha Israely

Assistente Social – Casa Durval Paiva

CRESS/RN 3592

 

O impacto da notícia de que seu filho(a) está com câncer é algo sentido por toda família e amigos, mas em especial pelos responsáveis. Não é fácil para pais e mães lidarem com todas as mudanças e os desafios que o tratamento contra o câncer acarreta. Mas, a busca pela cura e a recuperação da saúde do filho é o que os impulsionam a travar tal luta.

As consultas e exames iniciais são marcadas pelo medo e a incerteza dos resultados, muitas vezes, as dúvidas são melhores que as certezas repletas de diagnósticos e prognósticos ruins. Os ambientes hospitalares passam a ser o espaço mais visitado, pois o início do tratamento é marcado por longos períodos de internação. Nesses ambientes, a presença das mães é a mais frequente, afinal é histórica a responsabilidade da mulher de cuidar dos filhos enquanto o marido trabalha e providencia o sustento da família. Mas, não é de agora que essa realidade vem sendo alterada, o que representa uma quebra nas estruturas socialmente estabelecidas, afinal a responsabilidade de cuidar é de ambos.

Atualmente, as mulheres têm desempenhado um importante papel não só na criação e educação dos filhos, mas também têm sido responsáveis pelo sustento, mesmo porque, hoje em dia, muitas mulheres cuidam sozinhas de suas famílias. A dura realidade é que muitos pais abandonam os lares, deixando para trás a árdua tarefa de criar os filhos. É bem verdade que da mesma forma que as mulheres têm assumido outras funções sociais, os homens também têm vivenciado tais mudanças, e muitos têm assumido o papel de cuidadores dos filhos.

Apesar da responsabilidade de cuidar e educar ser dos pais e mães, os pais cuidadores encaram diversos desafios, pois, enfrentam estigmas e preconceitos, principalmente, em ambientes onde as mães são maioria. Percebemos assim uma verdadeira mudança de paradigma.

Dentre os principais desafios enfrentados pelos pais cuidadores está o impacto na renda familiar, pois, para acompanharem os filhos durante o tratamento os pais precisam deixar os empregos, e isso reflete e traz consequências que atingem diretamente toda família, mas tais desafios não os impedem de lutar em busca da cura, e podemos afirmar que temos histórias reais de alguns pais que abriram mão de várias coisas para acompanharem os filhos nessa jornada. São pais heróis, que fazem de tudo, até doam partes de si para salvarem seus filhos.

Como a história de um pai da Casa Durval Paiva que, recentemente, doou parte do fígado para dar uma nova chance de vida a sua filha. Podemos citar também a história de outro pai que saiu do estado de origem, em busca de um tratamento melhor para o filho, deixando a esposa com mais dois filhos em casa, tendo como renda principal um benefício social, encarando de frente uma nova realidade, em um lugar desconhecido com um único objetivo, a cura.

É bem verdade que esses ainda possuem uma pequena representatividade no nosso universo de atuação, mas não podemos deixar de citar que existem aqueles que ao primeiro sinal da doença e das dificuldades abandonam o barco. No entanto, optamos por destacar o protagonismo dos pais heróis, que estes ocupem cada vez mais espaços de enfrentamento e assumam a importante missão de cuidar dos seus filhos.

Por Keillha Israely

Artigos Relacionados