A poesia inspirando olhares na Classe Hospitalar e Domiciliar da Casa Durval Paiva

O poema é um gênero literário, que pode ser definido como um texto em que a linguagem é explorada em suas mais variadas dimensões, pois destaca-se mais do que em outros gêneros textuais, fazendo com que a linguagem ultrapasse a sua função meramente comunicativa, transformando-se, assim, em um objeto artístico por excelência.

Trabalhar a poesia em sala de aula, além de contribuir com a aprendizagem, possibilita as múltiplas interpretações, engaja o aluno em suas próprias reflexões, despertando, com isso, o olhar sensível para tudo o que está a sua volta.

Nesse sentido, os poemas são recursos metodológicos, que facilitam o entendimento da linguagem, possibilitando ao sujeito desenvolver habilidades de fala, escrita e se conectar com eventos culturais ou históricos.

Foi pensando nessa perspectiva, que o setor educacional da Casa Durval Paiva vem desenvolvendo a oficina de poesia, com crianças e adolescentes assistidos pela instituição, como ação do projeto “Olhares que Inspiram”, aprovado com incentivo da Lei Câmara Cascudo e recursos do Instituto Neoenergia.

Nas Classes Hospitalar (Policlínica-Liga) e Domiciliar (Casa Durval Paiva), semanalmente, os alunos participam da oficina, que tem como principal objetivo, exercitar a construção de poesias, que venham a contar histórias da cidade onde moram, localizadas no interior do Rio Grande do Norte. Trazer a dinâmica de adentrar e resgatar conteúdos históricos culturais do cotidiano deles, vem sendo de uma riqueza cultural imensurável, pois tem feito com que crianças e adolescentes tenham contato com a identidade histórica das suas cidades de origem.

Dessa forma, percebe-se que a poesia está presente em tudo que nos cerca e dentro de nós, podendo ser ela o ritmo da respiração, das batidas do coração. Na verdade, poesia é ver beleza nos detalhes, é expressar sentimentos através de palavras, é reunir lembranças e afetos em rima e versos.

Poder elaborar poesias voltadas para o cotidiano dessas crianças e adolescentes pode transformar olhares, sentimentos e, desta forma, também tocar e transformar outras pessoas, através do livro que será produzido ao final dessa oficina, com a história da cidade registrada em fotos e contada em poesia.

Por Sandra Fernandes da Costa - Coordenadora Pedagógica Casa Durval Paiva

Artigos Relacionados