Uso da Ivermectina em crianças com câncer

A Ivermectina pode ser utilizada em diversas patologias, inclusive durante o tratamento do câncer infantil, embora se trate de um vermífugo. Alguns estudos divulgados no Brasil relatam que uma parte da população no país é acometida de alguma parasitose, esse fato se dá pelas condições precárias de higiene e políticas públicas.

Quando os pacientes, na maioria crianças, são diagnosticados com câncer, em alguns casos se faz necessário o uso de Ivermectina. Em situações em que o paciente apresenta alguma parasitose, vermes, piolho ou sarna, onde o médico, através do exame laboratorial, identifica e faz a prescrição da medicação. Esta deverá ser usada em acordo com a posologia indicada. Os vermes em alguns pacientes são decorrentes do fato de que na área habitada não há saneamento básico e da falta de higiene.

A Ivermectina é um medicamento de alta potência, assim sendo, deve ser usado mediante prescrição médica. A forma farmacêutica é de comprimido e deve ser engolido com água. Após o uso, existem medidas que devem ser adotadas para evitar nova contaminação. As reações adversas podem ocorrer, mas são poucas, pelo fato do medicamento ser eliminado rapidamente pelo organismo. Existem relatos de alguns sintomas bem leves como: diarreia, constipação, náuseas, dentre outros. A indicação da Ivermectina em crianças com câncer ocorre nos casos de sarna e piolho.

Nesse processo, a Ivermectina atua como vermífugo eliminando os vermes. A criança aumenta a imunidade e dá continuidade ao tratamento contra o câncer. O medicamento antes da pandemia da COVID-19 era de venda livre e receituário simples, embora só devesse ser usado mediante prescrição médica.

Durante a pandemia, e com estudos comprovando a eficácia no tratamento da COVID-19, a população passou a fazer o uso indiscriminado do medicamento, com a automedicação .Por medidas de precaução, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicou a RDC 45/2020 onde diz que a Ivermectina passará a ter um controle especial e só deve ser vendida mediante prescrição. Deverá estar datada, carimbada e assinada, além de conter todos os dados do paciente. A validade da prescrição é de 30 dias.

Na Casa Durval Paiva, todas as medicações prescritas são dispensadas pelo farmacêutico, onde as orientações são esclarecidas, evitando assim a automedicação e garantindo a eficácia do tratamento. No câncer infantojuvenil as células malignas se multiplicam de forma rápida e as medicações devem ser tomadas de forma correta para o sucesso do tratamento, pois são elas que minimizam as reações indesejadas da quimioterapia.

Por Isabelle Resende Farmacêutica - Casa Durval Paiva CRF-2541

Artigos Relacionados