Cárie de radiação em paciente submetidos a radioterapia

É comum a ocorrência de tumores malignos na cavidade oral, sendo a radioterapia o tratamento considerado de primeira escolha para o tratamento do câncer de cabeça e pescoço. Esta pode ser utilizada exclusivamente, ou associada a outros métodos de tratamento. 

As complicações bucais clínicas da radiação incluem: cárie de radiação, mucosite, xerostomia (boca seca), perda do paladar, osteorradionecrose e trismo (dificuldade para abrir a boca). Diante disso, o cirurgião dentista tem um papel fundamental no acompanhamento do paciente oncológico nas diferentes fases terapêuticas contra o câncer de cabeça e pescoço, antes, durante e após o tratamento, visando minimizar os efeitos causados pelo tratamento radioterápico. 

As cáries de radiação são cáries decorrentes do emprego da radioterapia na região da cabeça e do pescoço, a qual exerce efeitos danosos diretamente nos dentes. Iniciam-se três a quatro meses após a radioterapia e podem apresentar total destruição dos dentes em dois anos.  Esse tipo de cárie se caracteriza pela progressão rápida e pela forma mais agressiva com que atinge os dentes. Sem tratamento, a doença pode levar a destruição completa da coroa e a desmineralização dos dentes. 

Além dos efeitos diretos sobre a dentição, a radiação atua indiretamente, aumentando o risco de cárie por meio de diminuição do fluxo salivar. Tal redução denominada xerostomia (boca seca), é consequência direta do tratamento radioterapêutico e propicia o surgimento das cáries de radiação. O paciente irradiado produz saliva de qualidade pobre e em pouca quantidade, incapaz de neutralizar os ácidos secretados e de remineralizar o esmalte do dente.  

O tratamento mais eficaz nesses casos é a prevenção. O paciente deve ser orientado quanto à higiene bucal, restrição de açúcar na dieta, uso de saliva artificial, aplicação tópica de flúor ou bochechos com soluções remineralizadora, assim como, reforçar a escovação eficiente dos dentes. 

Nesse contexto, orientamos os pacientes da Casa Durval Paiva que passam por sessões de radioterapia, que mesmo que não suspeitem da presença de cárie, compareçam periodicamente no consultório odontológico para avaliação e para realizar medidas preventivas como limpeza e aplicação de flúor. 

Por Anna Letícia - Dentista

Artigos Relacionados