Tratamento humanizado através da equipe multidisciplinar

             A Casa de Apoio a Criança com Câncer Durval Paiva, que completou 24 anos de fundação, tem como missão: “Acolher a criança e ao adolescente com câncer e doenças hematológicas crônicas e seus familiares, durante e após o tratamento, buscando a cura, contribuindo para o resgate da cidadania, dignidade e qualidade de vida”. No início de suas atividades, mesmo trabalhando com voluntários, sempre teve a preocupação de formar uma equipe multidisciplinar, entendendo a importância de atender aos seus usuários de forma humanizada e em sua totalidade.

            Uma equipe multidisciplinar é um grupo de produção intelectual, material ou de ambos, composta por integrantes que atuam em áreas diferentes, mas que se completam para o desenvolvimento de um projeto específico, em outras palavras, é um conjunto de diferentes especialidades funcionais que trabalham para alcançar um objetivo comum.

            Atualmente, a equipe da Casa Durval Paiva é formada por assistentes sociais, psicóloga, dentistas, farmacêutica, terapeuta educacional, pedagogas, fisioterapeuta, nutricionista e arte educadora. Inicialmente, após o diagnóstico do câncer ou doença hematológica crônica, as crianças e adolescentes e seus familiares são encaminhados à Casa, onde são recebidos pelas assistentes sociais, acolhidas, orientadas e cadastradas; atendidas as demandas iniciais, estes são encaminhados para avaliação da equipe multidisciplinar. Logo após, os profissionais se reúnem para definir estratégias de ação que possam colaborar com o tratamento dos pacientes. Semanalmente, acontece uma reunião para discussão e elaboração de condutas com relação aos casos novos e reavaliação dos casos em andamento.  

             A família da criança ou adolescente, como membro do processo, também é avaliada pela equipe. O familiar mais próximo, que se torna o cuidador, geralmente é a mãe, esta é acompanhada de perto e tem papel fundamental na identificação das demandas, elaboração das condutas a serem adotadas para facilitar as ações e alcançar o objetivo principal do trabalho. Os outros familiares permanecem em suas residências, mas também tem papel importante na vida e no cotidiano do paciente, estes são atendidos de acordo com a identificação de problemas específicos que exijam a intervenção dos profissionais.

            Percebe-se que o conhecimento da realidade vivenciada por cada criança e adolescente, aliada aos vários saberes específicos de cada área tem colaborado muito para adesão e melhor resposta ao tratamento, uma vez que a intervenção multidisciplinar abrange todos os aspectos biopsicossocial, possibilitando o enfrentamento das fragilidades identificadas e o desenvolvimento das potencialidades de cada família atendida.

            Outro aspecto importante do trabalho da equipe multidisciplinar é disseminar entre os profissionais de saúde e a comunidade de modo geral, a importância do diagnóstico precoce. Divulgando e identificando os sinais de alerta do câncer infantojuvenil é possível fechar o diagnóstico no início da doença, o que sem dúvida, oportuniza melhores resultados e menores sequelas.

            Assim, é possível afirmar que o diagnóstico precoce e a atuação da equipe multidisciplinar tornam o tratamento mais humanizado e aumentam as possibilidades de alcançar o objetivo final, a cura do paciente

Por Soraya Mendes Guimarães - Assistente Social

Artigos Relacionados