Benefícios da Laserterapia na odontologia para pacientes oncológicos

A odontologia, com o avanço da tecnologia, tem propiciado o surgimento de novos equipamentos utilizados nas áreas de diagnóstico e terapêutica.  A laserterapia consiste numa luz laser de forma terapêutica. O laser (energia luminosa) é aplicado sobre a pele da mucosa, sendo capaz de transformar energia luminosa em energia química. Essa energia será utilizada pelas células para recompor suas funções. A terapia com o laser de baixa potência tem várias indicações e a principal delas é a prevenção e o tratamento da mucosite.

A mucosite oral, principal efeito colateral da quimioterapia e /ou radioterapia na região de cabeça pescoço, consiste em uma afta de forma severa, que acomete não só a cavidade oral como também orofaringe e trato gastrointestinal. Essas úlceras são dolorosas e podem agravar-se, impedindo que o paciente se alimente, fale e degluta. Muitas vezes, em decorrência da morbidade da mucosite, o tratamento antineoplásico sofre alteração ou é suspenso, interferindo no controle da doença e na sobrevida do paciente. Daí a importância da odontologia oncológica na equipe multidisciplinar hospitalar, para conferir saúde integral e qualidade de vida ao  paciente em todas as etapas do tratamento oncológico.

A palavra laser é um acrômio e revela seu próprio significado: Light Amplification by Stimulated  Emission of Radiation, que significa amplificação da luz por emissão estimulada de radiação. A laserterapia pode ser utilizada isoladamente ou associada ao tratamento medicamentoso, sua aplicação é simples, atraumática e de baixo custo. Esse processo alivia a dor, proporciona maior conforto ao paciente, controla a inflamação, mantem a integridade da mucosa e melhora a cicatrização.

Os pacientes com leucemia (câncer no sangue) e osteossarcoma (câncer ósseo) são tratados com protocolos muito pesados e citotóxicos, como o quimioterápico MTX (metrotexato) que é o maior causador de mucosite oral. Sendo assim, iniciamos a aplicação de laser preventivo durante toda a quimioterapia e, caso apareça a mucosite, iniciamos a laserterapia, proporcionando um maior conforto ao paciente.

Aos pacientes que irão submeter-se a radioterapia de cabeça e pescoço, em que a probabilidade de aparecer mucosite é de 100%, a laserterapia tem múltiplos efeitos benéficos para os tecidos irradiados, como: ativação da microcirculação, efeitos antiinflamatórios e analgésicos, além de estímulo ao crescimento e à cicatrização, dando a possibilidade ao paciente de se alimentar corretamente e de melhorar sua condição geral, fundamental para o sucesso do tratamento oncológico no qual ele se encontra.

O serviço odontológico da Casa Durval Paiva atende diariamente aos pacientes internados, utilizando o laser de baixa potência de forma profilática e terapêutica, conferindo assim uma melhor qualidade de vida às crianças e adolescentes. Os resultados com a laserterapia são comumente muito satisfatórios.

Por Simone Norat Campos - Dentista

Artigos Relacionados