Os impactos causados pelo “isolamento” na vida dos adolescentes oncológicos

A vida depois da notícia de um diagnóstico de câncer muda completamente, e é impactada em vários aspectos: psicológicos, sociais, econômicos, dentre outros. É um verdadeiro vendaval, que chega e tira tudo do lugar, mexendo diretamente com todas as estruturas, afetando pacientes e familiares, mas que precisa ser enfrentado. Tais desafios na vida dos adolescentes assumem proporções maiores, afinal, trata-se de uma fase da vida permeada de descobertas, transformações e inseguranças.

A partir do diagnóstico de câncer, é iniciado o tratamento oncológico, longo e doloroso. São inúmeras consultas, exames, procedimentos médicos, internações, onde o hospital passa a ser a segunda casa dos pacientes. Em determinado momento, o “isolamento” é necessário, pois as defesas baixam e, muitas vezes, o contato com outras pessoas deve ser evitado, o que pode acarretar um sentimento de reclusão forçada. Não é fácil ter que lidar com as dificuldades advindas com o câncer, além de ter que deixar de vivenciar as festas, os encontros, os momentos de diversão.

Nesse período de tratamento, o adolescente precisa enfrentar as mudanças do corpo - como a magreza ou o inchaço advindo do uso de corticoides; os enjoos; a queda de cabelo; a baixa autoestima e a saudade dos familiares, amigos e colegas da escola. Enfim, ele passa a vivenciar uma rotina completamente diferente da que vivia antes. Muitos precisam deixar seus lugares de origem em busca de um melhor tratamento, até mesmo em outros estados, e a distância de casa só aumenta esse sentimento de isolamento e reclusão.

É nesse contexto que os pacientes necessitam de um acompanhamento especializado por parte de uma equipe multidisciplinar, que o compreenda em sua totalidade e ofereça a ele um suporte, além da importância do apoio da família e dos amigos, pois sozinhos não terão condições de enfrentar o câncer. É necessário entendermos que os momentos de silêncio, raiva, revolta, rebeldia, trata-se de variadas formas de reagir a um tratamento tão difícil.

Na Casa Durval Paiva, atendemos a adolescentes inseridos nesse contexto e no nosso cotidiano profissional acompanhamos as mais variadas histórias de enfretamento, dificuldades e superação. Atuamos diariamente no intuito de oferecermos um tratamento e acolhimento de qualidade, a fim de proporcionarmos melhores condições para que esses adolescentes alcancem a cura e enfrentem tais situações da melhor maneira possível.

Por Keillha Israely - Assistente social

Artigos Relacionados