Brinquedo, brincadeira e fisioterapia

Cinthia Moreno

Fisioterapeuta – Casa Durval Paiva

CREFITO 83476-F

 

É através da brincadeira que a criança expressa suas emoções e interage com as outras crianças. Diferente do que muitos pensam, brincar é uma atividade importante que gera aprendizagem, além de ser uma forma de experimentar o ambiente. Ela influencia no crescimento e desenvolvimento, e faz parte do cotidiano de qualquer criança. Brincar e se divertir é uma necessidade e, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, é também um direito de toda criança. Mas brincar deixa de ser rotina no processo de adoecimento.

Há mudanças imediatas na vida de uma criança que recebe o diagnóstico de câncer e essas mudanças atingem toda a família. O tratamento é prolongado e exige, em certos períodos, que a criança compareça quase que diariamente ao hospital para consultas, exames e procedimentos. Dessa forma, ela se afasta da escola e não tem tempo, nem liberação médica, para atividades sociais e de lazer. Outros fatores como náuseas, fadiga e até mesmo a queda do cabelo contribuem para o seu afastamento.

O tratamento de reabilitação no setor de fisioterapia da Casa Durval Paiva é realizado de forma divertida e prazerosa. O brinquedo e as brincadeiras são utilizados para resgatar a rotina, gerar e fortalecer vínculo com a criança e assim estimular o desenvolvimento e a recuperação da autoestima, confiança e integridade física. É brincando que realizamos os exercícios de fortalecimento muscular, de recuperação da amplitude de movimento, de melhora da resistência à fadiga e treino de equilíbrio. O ambiente fica atrativo, o que ajuda a minimizar os efeitos negativos da doença e contribui para a humanização e adesão ao tratamento, além de melhorar a qualidade de vida do paciente.

É importante estabelecer uma comunicação clara e objetiva com a criança e sua família, informando sobre os benefícios de brincar. Se houver algum tipo de restrição, os devidos cuidados devem ser tomados e outras possibilidades devem ser buscadas, para garantir que essa atividade tão prazerosa possa trazer melhora nos aspectos físico, cognitivo e emocional da criança.

Por Cinthia Moreno

Artigos Relacionados