O significado da família

Keillha Israely 

Assistente Social – Casa Durval Paiva

CRESS/RN 3592

 

A Casa Durval Paiva atende crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas, oferecendo suporte como hospedagem, alimentação, serviço de transporte e atendimento especializado com equipe multidisciplinar. Atualmente, são acompanhados 537 pacientes ativos e em vigência de tratamento. São famílias de várias cidades do interior do Rio Grande do Norte, de Natal, e até de outros estados que se unem com um único objetivo, a busca pela cura, bem como, um tratamento digno.

No nosso cotidiano profissional conhecemos e convivemos com as mais variadas configurações de famílias – pequenas, numerosas, que vem de perto e de muito longe também. E nessa convivência, apreendemos como o suporte da família é fundamental para o enfrentamento da doença e do tratamento. 

Mas, afinal qual o significado de família? Falar sobre família não é algo simples, pois cada um tem seu conceito, e cada família, possui suas especificidades. Nesse sentido, em uma de nossas intervenções multidisciplinares, unimos algumas mães de pacientes e questionamos, qual o conceito de família para elas. O que se sobressaiu nas falas é que “família é a base de tudo”, é o “porto seguro”, “o lugar para onde sempre queremos voltar”.

Independentemente das diversas configurações, pais, mães, avós, tios, tias, padrinhos, amigos e vizinhos, fazem parte dessa “teia de suporte” tão necessária ao tratamento. Na maioria das vezes, quando o paciente é do interior, a mãe ou outro responsável necessita acompanhá-lo nesse processo, e os demais filhos ficam sendo cuidados por outras pessoas. É aí que entra em ação a chamada rede de apoio. Nesse momento, ter uma pessoa de confiança para cuidar dos demais filhos e da casa é de suma importância, para que o paciente tenha a atenção que necessita.

É bem verdade, que como toda família, existem os conflitos, as diferenças, os laços de sangue, e muitas vezes, a união gerada por vínculos de amor, e por propósitos em comum. Pois, vemos no dia a dia como as mães se tornam uma família para acolher e amparar quem chega. Hoje em dia, até a legislação reconhece que para ser família não precisa ter laços de sangue e sim de amor e pertencimento, e isso, elas possuem. Afinal, lutam pelo mesmo objetivo, a cura dos filhos, e assim, na união desse propósito, formam uma grande família.

Nesse contexto, o serviço social atua visando a garantia de direitos dos pacientes e seus familiares. Buscamos através dos atendimentos sociais, visitas domiciliares, entrevistas, articulação e encaminhamento com a rede de serviços, assegurar que tais sujeitos tenham um tratamento digno e humanizado. É bem verdade que tal atuação é repleta de desafios, limites e possibilidades. Porém, podemos afirmar que lidamos diariamente com diversas histórias de superações e conquistas.

Por Keillha Israely

Artigos Relacionados